Oficina Espalhafatos leva técnicas de jornalismo para jovens

10 de novembro de 2015

O resultado da produção será publicado na próxima edição do jornal Espalha Fatos, distribuído em bibliotecas do estado.

Com a proposta de ir além dos cursos tradicionais de jornalismo, a escola-agência Énóis Inteligência Jovem acredita no que Gay Talese, escritor e um ícone da reportagem investigativa, costuma dizer sobre a profissão: o jornalismo é a arte de sujar os sapatos.

O diferencial está na prática, na conversa próxima com a realidade. “O jornalismo é uma ferramenta para a produção de pensamento e para mudanças sociais”, afirma Amanda Rahra, uma das criadoras da Énóis. “Quebramos a regra de que o jornalismo deve ficar somente na mão da elite. O poder está nas mãos de quem tem capacidade de pensar e refletir sobre os problemas de sua sociedade”, ressalta, em reportagem especial do Promenino. Pelas aulas presenciais da escola-agência, já passaram 300 alunos desde 2012. O curso online de jornalismo já supera os 4 mil participantes.

Nesta terça-feira, dia 10 de novembro, a Énóis oferece a jovens de 14 a 18 anos a Oficina Espalhafatos. Nela, a ideia é refletir e produzir seus próprios textos a partir de outros conteúdos. O encontro acontece na Biblioteca de São Paulo.

“Vamos misturar uma turma da Énóis que já estuda jornalismo com a gente com uma molecada entre 14 e 18 anos que frequenta o Parque da Juventude, as escolas técnicas e a Biblioteca de São Paulo para conversar sobre conceitos básicos do jornalismo: pauta, apuração, reportagem, fontes. E, depois, colocar com eles a mão na massa”, conta Amanda. “A oficina tem quatro horas de duração e o objetivo de finalizar o texto, com foto e desenho da página, com diagramação.”

A produção da oficina será publicada na próxima edição do jornal Espalha Fatos, distribuído em mais de 900 bibliotecas no estado de São Paulo.

Confira o vídeo realizado pelos alunos da Énóis sobre a proposta de jornalismo como ferramenta social:



Deixe uma resposta aqui